O acordo para cassar Dilma e melar a Lava Jato

Aécio Neves é um patriota.

Entrevistado pelo Estadão sobre o impeachment de Dilma Rousseff, depois da denúncia de Ricardo Pessoa de que a presidente se elegeu com dinheiro roubado da Petrobras, ele preferiu pedir cautela.

Textualmente:

“Continuo tendo a cautela de sempre nessa questão. Vou continuar esperando que as coisas caminhem. Um momento extremamente importante para todo esse processo será o julgamento do Tribunal de Contas”.

Sobre Aloysio Nunes, o senador tucano que, assim como Lula e Dilma Rousseff, foi denunciado por Ricardo Pessoa, Aécio Neves adotou a mesma linha de defesa do tesoureiro do PT:

“Não se pode misturar um apoio legítimo, declarado na Justiça Eleitoral, com o assalto comandado pelo PT”.

O quadro está claro: PT, PMDB e PSDB vão usar a rejeição das contas de Dilma Rousseff no TCU para forçar sua renúncia. Em seguida, vão fechar um acordo por baixo do pano para melar a Lava Jato.

Originalmente publicado aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s